Arquivo mensal dezembro 2014

Edward Madureira deve ser a aposta do PT de Rubens Otoni para prefeito de Goiânia

Nota publicada em Bastidores, Jornal Opção – 28/12/2014 a 03/01/2015.

Luis Cesar acredita em recuperação de Paulo Garcia

Matéria publicada em Política & Justiça, Diário da Manhã – 23/12/2014.

Acesso de estudantes à universidade pública cresceu, diz IBGE

O acesso de estudantes de baixa renda nas universidades públicas aumentou 400% entre 2004 e 2013, de acordo com a Síntese de Indicadores Sociais (SIS) do IBGE. Em 2004, apenas 1,4% dos estudantes do ensino superior pertencentes aos 20% com os menores rendimentos (1° quinto) frequentavam universidades públicas. Em 2013, essa proporção chegou a 7,2%.

Analisando de outra forma, em 2004, os 20% mais ricos do País representavam 55% dos universitários da rede pública e 68,9% da rede particular. Em 2013, essas proporções caíram para 38,8% e 43%, respectivamente. Desta forma, os 20% mais pobres, que eram apenas 1,7% dos universitários da rede pública, chegaram a 7,2%.

Na rede privada, a presença dos mais pobres mais do que dobrou, saltando de 1,3% para 3,7%. A proporção de estudantes de 18 a 24 anos na universidade passou de 32,9% em 2004 para 55% em 2013.

Escolaridade aumentou

A escolaridade média da população de 25 anos ou mais aumentou entre 2004 e 2013, passando de 6,4 para 7,7 anos de estudo. Esse incremento foi mais intenso entre os 20% com os menores rendimentos, que elevaram de 3,7 para 5,4 os seus anos de estudo.

Entre 2004 e 2013, a proporção de pessoas da faixa etária 25 a 34 anos com ensino superior praticamente dobrou, passando de 8,1% para 15,2%.

A distorção idade-série entre os estudantes do ensino fundamental regular de 13 a 16 anos de idade e que faziam parte do quinto mais pobre era 4,3 vezes maior em relação aos 20% mais ricos (5º quinto) em 2004. Em 2013, a distância entre essas taxas para o 1º quinto e o 5º quinto caiu para 3,3 vezes maior que a taxa dos 20% mais ricos (5°quinto). Os alunos de 13 anos a 16 anos que ainda estavam fora da série adequada eram 41,4% em 2013, contra 47,1% em 2004.

Também houve redução da distorção idade-série dos jovens de 15 anos a 17 anos, isto é, um número maior de alunos está cursando a série adequada à sua idade no ensino médio. Ou seja, em 2004 apenas 44,2% dos alunos dessa faixa etária estavam no ensino médio, em 2013, o percentual subiu para 55,2%.

Os jovens dessa faixa etária que ainda estão no ensino fundamental caíram de 34,7% para 26,7% no período. O número de jovens que não estudam também diminuiu de 18,1% para 15,7%.

A SIS 2014 tem como principal base de informações a Pnad 2013, além de fontes de dados como o Censo Demográfico 2010, a Projeção da População do Brasil por sexo e idade 2013, além de bases de dados do Inep, do Ministério da Educação e Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), doMinistério da Saúde. 

 

Com informações Blog do Planalto

Assessoria de Comunicação
assessoria.imprensa@rubensotoni.com
(62) 3092-1013 / 3701-0619

Candidatos têm dificuldades na prestação de contas

Matéria publicada em Política, Jornal O Popular – 19/12/2014.

Contas rejeitadas pelo TRE

Matéria publicada em Política & Justiça, Diário da Manhã – 19/12/2014.

Diplomação dos eleitos

Matéria publicada em Política & Justiça, Diário da Manhã – 19/12/2014.

Gomide pode ocupar cargo

Nota publicada em Política & JUstiça, Diário da Manhã – 19/12/2014.

Otoni diz que oposição tenta criar “3º turno” com crise da Petrobras

Matéria divulgada em Últimas Notícias, Jornal Opção – 19/12/2014.

Diplomação de Dilma Rousseff e Michel Temer

A presidenta Dilma Rousseff e o vice-presidente Michel Temer receberam, na noite desta quinta-feira (18), o diploma eleitoral para o segundo mandato, que vai de 2015 e 2018. Em cerimônia no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). “Ímpeto, coragem e determinação não nos faltam. E nunca nos faltarão”, afirmou ela.

“Sou daquelas mulheres que não desistem, nem se deixam vencer pelas adversidades. Sou daquelas mulheres que dedicam toda sua existência, e são capazes de dar a vida, por amor à sua família, ao seu povo e ao seu País”, completou.

Em um discurso marcado pela emoção, a presidenta destacou este momento em que o Brasil vivencia a verdade.

“Temos a felicidade de estar vivendo em um País onde a verdade não tem mais medo de aparecer e onde as pessoas enfrentam a verdade sem medo”, afirmou Dilma.

Ela lembrou da entrega do relatório da Comissão Nacional da Verdade na última semana e falou sobre o ímpeto do governo em revelar e punir os casos de corrupção que são descobertos.

“Já a corrupção, como outros pecados, está entranhada na alma humana e cobra de nós a permanente vigilância. Não é defeito ou vício exclusivo de um ou outro partido ou instituição. Tampouco é privilégio de quem compartilhe momentaneamente do poder. Trata-se de fenômeno complexo e resiliente”, afirmou.

Para a presidenta, a guerra contra a corrupção deve ser uma tarefa das instituições e uma ação permanente do governo e de toda a sociedade. “Estamos purgando, hoje, males que carregamos há séculos. Quero ser a presidenta que ajudou a tornar este processo irreversível”, afirmou Dilma.

Com informações Agência PT 

Assessoria de Comunicação
assessoria.imprensa@rubensotoni.com
(62) 3092-1013 / 3701-0619

Aumento na produção de próteses dentárias beneficiará goianos

A procura pelo tratamento dentário é uma das principais demandas dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Para ampliar o acesso à saúde bucal, foram habilitados nesta última segunda-feira, 15, mais 31 Laboratórios Regionais de Próteses Dentárias para Goiás. A medida aumentará em 15,5 mil a quantidade de goianos beneficiados com procedimentos odontológicos. Com os novos credenciamentos, serão 73 laboratórios em funcionamento, o que representa uma ampliação de 40% na quantidade de unidades existentes no estado.

Para conceder gratuitamente mais próteses para a população de Goiás, o Ministério da Saúde disponibilizará R$ 2,7 milhões, chegando a um investimento anual de R$ 7,4 milhões. Os recursos serão liberados diretamente para as secretarias estaduais e municipais de saúde de acordo com a estrutura e com a capacidade de fabricação de cada laboratório. No total, o estado passará a produzir aproximadamente 36,5 mil próteses por ano.

Em todo o país, serão credenciados 539 novos laboratórios, totalizando 1.993 unidades. Para custeio desses estabelecimentos, serão repassados mais de R$ 198,3 milhões anuais. Quando os laboratórios começarem a produzir, o número de próteses dentárias será ampliado em 54%, passando de 500 mil para 770 mil ao ano para a população.

A ampliação do atendimento faz parte das ações do Brasil Sorridente, programa que visa garantir assistência odontológica gratuita para a população que depende do SUS. Atualmente, mais de 80 milhões de brasileiros são atendidos pela inciativa. O investimento do Ministério da Saúde já ultrapassou R$ 7 bilhões desde o seu lançamento, em 2004, para expansão e manutenção da rede. Somente no ano passado foi liberado R$ 1,28 bilhão, 20 vezes mais do total investido antes do início do programa.

No país, são 24.164 equipes de saúde bucal, que atendem nas unidades básicas de saúde. O Brasil Sorridente conta também com 1.032 Centros de Especialidades Odontológicas (CEO), que realizam procedimentos de maior complexidade, como cirurgias, tratamento de canal, oferta de implantes, ortodontia e diagnóstico de câncer de boca. Nos 10 anos de implantação do programa, foram entregues mais de 2,1 milhões de próteses dentárias pelo SUS.

 

Assessoria de Comunicação
assessoria.imprensa@rubensotoni.com
(62) 3092-1013 / 3701-0619