Destaques

Povo sai às ruas em todo o país pela educação e rumo à greve geral

O segundo ato do #tsunamidaeducação levou o povo brasileiro às ruas contra a reforma da Previdência e contra os cortes de verbas na educação, feitos  pelo governo de extrema direita de Jair Bolsonaro (PSL).

Milhares de pessoas se reuniram na Praça Universitária, em Goiânia, na tarde desta quinta-feira (30) em manifestação contra o bloqueio de 30% da verba de custeio e investimento de universidades e institutos federais do País. O grupo saiu em passeata rumo à Praça Cívica por volta das 17h15. O trajeto é o mesmo do ato do último dia 15, que tinha a mesma pauta.

Estudantes fizeram uma intervenção artística utilizando um grande pano branco que cobria várias pessoas ao mesmo tempo. Também foram usados sinalizadores vermelhos que coloriram a passeata.
A palavra de ordem mais ouvida é “não vai ter corte, vai ter luta”. Os gritos de protesto foram embalados por uma banda de percussão e dois carros de som. O movimento foi marcado por entidades estudantis e sindicais.

O #30M em Goiás começou nesta quinta-feira (30) com passeatas em Catalão, Ceres e Posse; concentração em Rio Verde e roda de conversa na cidade de Goiás e aula na rua em Posse.

Em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal, estudantes e professores do campus do Instituto Federal de Goiás (IFG) se reuniram em frente à igreja Matriz por volta do meio-dia.

Já em Anápolis, a 55 km de Goiânia, o ato foi realizado pela manhã e durou cerca de uma hora. Alunos e professores da Universidade Estadual de Goiás (UEG) fizeram uma passeata por algumas ruas do centro da cidade.

Outra cidade onde ocorreram atos foi Rio Verde, no sudoeste do estado. Alunos do IFGoiano se reuniram com faixas em frente à instituição.

São Paulo
Em São Paulo, uma multidão de mais de 200 mil pessoas, se reuniu no fim da tarde, no Largo da Batata, na zona oeste da cidade contra a reforma da Previdência, contra os cortes na educação e em apoio à greve geral marcada para o próximo 14 de junho. O ato teve apoio da CUT e de diversas centrais sindicais, além do sindicato dos professores de São Paulo, saúde, entre outros.

Durante o ato no Largo da Batata, na cidade de São Paulo, o presidente da CUT-SP, Douglas Izzo, falou sobre a construção das mobilizações em todos os estados brasileiros.

“A unidade nas ações de trabalhadores, estudantes e daqueles que defendem uma educação pública e de qualidade demonstra a importância da nossa luta. As nossas reivindicações por direito e contra cortes orçamentários são mais do que didáticas e provam mais uma vez ao presidente Bolsonaro que aqui não há idiotas úteis e nem massa de manobra. Aqui tem luta e sabedoria popular para barrar todos os retrocessos impostos por este governo de extrema direita e contrário ao povo”.

Com cânticos como “Não vai ter arrego, se tirar da educação, vamos tirar o seu sossego”, os manifestantes disseram não às reformas que Jair Bolsonaro (PSL) quer fazer, retirando direitos dos trabalhadores, das trabalhadoras e dos estudantes. No início da noite, os manifestantes saíram em passeata até a Paulista.

Interior de São Paulo

Na cidade de Campinas, o ato contra os cortes na educação e a reforma da Previdência reuniu centenas de pessoas no Largo do Rosário.

 

 

Em Bauru, o povo mostrou que a educação resiste. #30M #30MpelaEducacao #NovaPrevidenciaNao #EsquentaGreveGera

 

 

Em Sorocaba, os estudantes gritaram que “Balbúrdia é seu ‘desgoverno’”, “Quem não se informa, aceita qualquer reforma!”

Bolsonaro! #30MpelaEducacao #BrasilPelaEducacao

 

Em Boituva, o recado dos estudantes do Instituto Federal foi curto e direto, Bolsonaro e Ministro: tira a mão do meu IF!

 

Em Jundiaí, a manifestação em defesa da educação foi na Praça da Matriz

Em Ubatuba, litoral norte de São Paulo, foi organizada uma aula pública para esclarecer e dialogar com a população sobre o corte de verbas na Educação e a Reforma da Previdência. #30M #30MpelaEducacao #NovaPrevidenciaNao #EsquentaGreveGeral

 

Em Araraquara, o povo foi às ruas e mostrou que vai ter luta pela educação e aposentadoria sim!

#30M #30MpelaEducacao #NovaPrevidenciaNao #EsquentaGreveGeral

Em São José do Rio Preto, trabalhadores e estudantes realizaram um ato em frente à Câmara Municipal da cidade. #30M #30MpelaEducacao #NovaPrevidenciaNao #EsquentaGreveGeral

 

Em Pindamonhangaba também ocorreram manifestações contra os cortes na educação. Um grupo com estudantes, professores, militantes políticos e sindicalistas se reuniu na praça Monsenhor Marcondes, no centro da cidade, onde ocorreram discursos, oficinas de cartazes, coleta de assinaturas contra a Reforma da Previdência e, ao final da tarde, houve uma passeata até a praça do Cruzeiro. #30M #30MpelaEducacao #NovaPrevidenciaNao #EsquentaGreveGeral

Alagoas

Na capital de Alagoas, Maceió, os estudantes e a população em geral se reuniram na Praça do Centenário, bairro do Farol, no segundo ato contra os cortes na educação, contra a reforma da Previdência e rumo à greve geral, dia 14 de junho. É o  #Tsunami30M Prepara o guarda-chuva, Ministro!

Amapá

Em Macapá, o ato em defesa da educação pública e de qualidade  fi realizado na Praça da Bandeira , no centro da capital amapaense. Os estudantes, professores, trabalhadores e famílias com crianças saíram em defesa também da Previdência pública. Nos cartazes dos alunos, eles criticam Jair Bolsonaro, e suas medidas contrárias à educação.

Bahia – Salvador

Em Macapá, o ato em defesa da educação pública e de qualidade  fi realizado na Praça da Bandeira , no centro da capital amapaense. Os estudantes, professores, trabalhadores e famílias com crianças saíram em defesa também da Previdência pública. Nos cartazes dos alunos, eles criticam Jair Bolsonaro, e suas medidas contrárias à educação.

Bahia – Salvador

Neste dia 30 de maio, a CUT Bahia, trabalhadores e estudantes ocuparam as ruas da capital e do interior unidos por ois ideais: defesa da educação e para dizer não a reforma da Previdência.

Mais de 20 mil pessoas no bairro Campo Grande, outras milhares nas praças e largos nas demais cidades do Estado atenderam ao chamado no Segundo Dia Nacional de Mobilização em Defesa da Educação e contra Reforma da Previdência. Com cartazes, falas, faixas ou a tradicional camisa vermelha e o boné da CUT avançaram chamando a atenção que o direito a educação pública de qualidade e de se aposentar estão sob ataque é que a população não vai ficar assistindo a mais essa tentativa de desmonte.

Bahia, interior

Em Irecê, na Bahia também teve ato em defesa da educação pública, contra a reforma da Previdência e rumo à greve geral, no dia 14 de junho.

Ceará

Fortaleza

 

Milhares de pessoas se reuniram na Praça da Gentilândia, no bairro Benfcia, em Fortaleza, onde pediram  #ForaBolsonaro, no ato da Greve Nacional da Educação. No ato, os estudantes cantavam :  ♪ Tire a Tesoura da mão e investe em Educação♪ #TaChovendoProtesto #30MPelaEducacao #BrasilPelaEducacao #RumoÀGreveGeral

Os estudantes de Barbalha, também no Ceará, não se furtaram a ir às ruas contra os cortes na educação e contra a reforma da Previdência, neste 30 de maio. É o #tsunamidaeducação. #MarchaFetamce #EmDefesaDaEducação #ContraDestruiçãodaPrevidência

Maranhão, São Luís

Milhares de pessoas participaram do Ato em Defesa da Educação, contra a reforma da Previdência e em apoio a greve geral do dia 14 de junho, na Praça Deodoro, em São Luís, capital do Maranhão. A manifestação teve o apoio do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência (SINTSPREV/MA), entre outras entidades.

Mato Grosso

 

 

Na capital, Cuiabá, mais de 5 mil estudantes e trabalhadores foram às ruas da capital matogrossense. A concentração foi na Praça da República e, seguida de caminhada pelas ruas centrais da cidade.

Minas Gerais – Belo Horizonte

Milhares de pessoas se reuniram na Praça Afonso Arinos, no centro de Belo Horizonte para disser a Jair Bolsonaro que a população é contra os cortes na educação, contra a reforma da Previdência e que vão juntas rumo à greve geral no dia 14 de junho.

Em Diamantina, Minas Gerais, os estudantes também saíram às ruas contra os cortes no orçamento da educação que o governo Bolsonaro quer impor. Os manifestantes cantaram sob o som de “ estudante quer educação”.

Pará – Belém

 

A concentração do ato #30M foi na Praça da República, no bairro Campina. Milhares de estudantes, com apoio da população, se posicionaram contra os cortes na Educação e contra a reforma da Previdência. Depois os manifestantes saíram em caminhada até São Brás.

Paraíba

 

Na capital da Paraíba, João Pessoa, os estudantes também se manifestaram contra os atos de Jair Bolsonaro. A concentração foi no Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Paraná

Em Curitiba, onde o presidente Lula, vem sendo mantido como preso político, desde o dia 7 de abril de 2018, os paranaenses fizeram o ato na Praça Santos Andrade, no centro.

Pernambuco

 

Na capital pernambucana, Recife, os estudantes, professores, servidores da Educação, além de representantes de sindicatos cutistas, se concentraram na rua Aurora, no bairro Santo Amaro, e saíram em passeata contra os cortes na educação promovidos pelo governo Bolsonaro.

É Recife firme e forte, em defesa da escola pública.

Também na cidade Jaboatão, Pernambuco, a população saiu às ruas, em defesa da educação pública e contra a reforma da Previdência.

Rio de Janeiro – Rio

 

No Rio de Janeiro, em frente à Assembleia Legislativa do Estado houve um aula pública e uma intervenção teatral. Depois os estudantes saíram em passeata até a Candelária, onde o ato reuniu milhares de pessoas, contra os cortes de Bolsonaro na educação.

Nos cânticos frases como “ Minha balbúrdia, é estudar, tô lutando pra me formar” e UERJ resiste, entre outras.

Rio Grande do Norte

Em Assu, na região oeste do estado do Rio Grande do Norte, os trabalhadores se uniram ao ato dos estudantes contra os cortes na educação,  a reforma da Previdência e em apoio a greve geral do dia 14 de junho.

Em Mossoró (RN), os estudantes também participaram do ato em defesa da educação

Sergipe – Aracaju

Mais de 30 mil pessoas saíram ás ruas de Aracaju contra a política de cortes e desmonte da educação pública feita pelo governo de Jair Bolsonaro. A concentração foi na Praça General Valadão, região central.  Os manifestantes caminhada saíram em caminhada pela Avenida Hermes Fontes, uma das mais importantes da cidade. O ponto final é o terminal de integração do DIA – Distrito Industrial de Aracaju, onde circula grande parte das linhas urbanas de transporte público

Início da concentração

 No exterior

Inglaterra – Londres

 

Estudantes e professores brasileiros protestam contra os 30% de corte na Educação aqui no Brasil. Os ativistas fazem parte do movimento Academics for freedom Brazil.

Em Genebra – Suíça

 

Manifestantes em tom de ironia fizeram o ‘Piquinipe da Balbúrdia”.

Veja aqui – https://www.cut.org.br/noticias/segundo-tsunami-da-educacao-toma-as-ruas-do-brasil-confira-o-balanco-da-manha-3b0d  como foram os atos do Tsunami pela educação, no período da manhã

Do site da Cut