Notícias

Gestões do PT aumentaram volume de financiamentos para a agricultura familiar

As políticas de apoio à produção e à expansão de crédito possibilitaram ao Brasil aumentar, nos últimos 12 anos, sua capacidade de produção agrícola. Durante esse período, a colheita de grãos no País saltou de 96 milhões de toneladas em uma área de 40 milhões de hectares, na safra 2001/2002, para 191 milhões de toneladas em 56 milhões de hectares, em 2013/2014.
 
O próximo ciclo agrícola, que se inicia em outubro, deve receber R$ 156 bilhões em recursos para financiamento. Desse montante, R$ 24 bilhões serão destinados aos produtores familiares. O investimento é recorde.
 
Para Rubens Otoni, incentivador dos projetos, programas e ações do Governo Federal para a Agricultura Familiar em Goiás, iniciativas como essa dão condições para que o homem do campo produza com dignidade. Ele lembra que, a cada ano, “aumentam os investimentos no setor e são os pequenos produtores que garantem o sustento de milhares de famílias”.
 
Reforma Agrária
 
Como resultado da política de fortalecimento da Agricultura Familiar, com crédito, seguro-safra e políticas de comercialização, a renda no campo aumentou 52%, em termos reais, nos últimos quatro anos. Conforme dados do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), 771 mil famílias receberam o título de propriedade de terras nos últimos 11 anos, 53,5% do total de beneficiados em toda a história da reforma agrária no Brasil.
 
O cenário, que antes era de concentração de terras, dívidas e empobrecimento, começou a mudar em 2003, com o primeiro Plano Safra para a Agricultura Familiar, um conjunto de políticas de crédito, assistência técnica, comercialização, seguro e garantia de preço.
 
Na gestão do PT, o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) passou a cumprir, de fato, a missão inscrita em seu nome: o fortalecimento da Agricultura Familiar. O Pronaf já existia, mas os governos do PT e partidos aliados multiplicaram por oito o volume de crédito, passando de R$ 2,2 bilhões em 2002/2003 para R$ 18,6 bilhões em 2012/2013. Nesta safra, o governo federal destinou R$ 21 bilhões para uso dos agricultores familiares.
 
Hoje, o programa está presente em 5,3 mil municípios. Ampliado, o Pronaf também atende mulheres, jovens, pescadores artesanais e extrativistas. Além disso, oferece financiamento para atividades agroflorestais, agroindustriais, cooperativistas e cobra juros abaixo da inflação.
 
Assessoria de Comunicação
assessoria.imprensa@rubensotoni.com
(62) 3092-6225 / 3701-0619