Arquivo mensal março 2018

13 pontos mostram que o PT é moldado pelas mulheres

O Partido dos Trabalhadores carrega em seu DNA a busca por uma sociedade mais igual e livre de injustiças. A luta pelos direitos da Mulher e o combate aos crimes e discriminações que sofrem as cidadãs brasileiras, naturalmente, não poderiam estar de fora das diretrizes do Partido.
 
Também não é por acaso que a primeira presidenta da República deste país tenha sido Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores. Antes dela, o ex-presidente Lula já havia montado um ministério com o maior número de mulheres na história do Brasil.
 

Protocolado no STF pedido de anulação do impeachment

O   líder   da   Bancada   do   PT   na   Câmara, deputado Paulo Pimenta (PT-RS) e as vice-líderes Maria do Rosário (PT-RS) e Erika Kokay (PT-DF) estiveram nesta quinta-feira (8), no Supremo Tribunal Federal, para acompanhar a entrega do abaixo-assinado do Movimento Nacional Anula o Impeachment da presidenta Dilma Rousseff, eleita por 54 milhões de votos, em 2014.
 
Segundo Pimenta, o ato pela anulação do impeachment, com as mulheres na linha de frente no dia 8 de Março, tem um profundo significado, de conscientização da sociedade brasileira sobre a gravidade do episódio que rasgou a Constituição do País.
 
“Esse ato simboliza a entrega de milhares de assinaturas contra o golpe para que a ministra Carmem Lúcia – presidente do Supremo Tribunal Federal – coloque na pauta da Corte, e busque a votação desse direito da presidenta Dilma, uma mulher honesta que nunca cometeu um crime e foi afastada da Presidência”, afirmou o líder do PT.
 
Para o líder petista, há praticamente uma unanimidade no País em relação ao golpe capitaneado pelo “juiz da sessão”, o então presidente da Câmara, Eduardo Cunha, que está preso e “os jurados que receberam muito dinheiro, inclusive, das empresas multinacionais para que a presidenta Dilma fosse afastada”, disse referindo ao processo de impeachment da presidenta legítima.
 
Flores – Durante o ato de entrega do abaixo-assinado contra o golpe, a deputada Maria do Rosário recebeu flores vermelhas de uma representante do Movimento Nacional Anula o Impeachment, dedicando-as à presidenta Dilma, à presidenta nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), às deputadas e senadoras do Partido e a todas as mulheres brasileiras.

CNT/MDA: Lula lidera com folga sucessão presidencial

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva mantém sua liderança em todos os cenários eleitorais em que seu nome aparece como candidato à Presidência da República, apontou pesquisa CNT/MDA divulgada nesta terça-feira, tanto no primeiro quanto no segundo turno.

Na sondagem de intenção de voto estimulada para a Presidência, Lula soma 33,4%, Bolsonaro ocupa a segunda posição, com 16,8% e o governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), aparece com 6,4%. Brancos e Nulos somam 18,2% e indecisos 6,4%. 

O deputado Jair Bolsonaro lidera as intenções de voto nos cenários em que Lula não é candidato.

Na sondagem de intenção de voto espontânea para a Presidência, Lula soma 18,6 por cento. Bolsonaro ocupa a segunda posição, com 12,3 por cento, seguido de Ciro Gomes (PDT), com 1,7 por cento, e o governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), com 1,4 por cento.

O senador Álvaro Dias (PODE-PR), alcança 1,2 por cento na pesquisa estimulada, o mesmo patamar obtido por Marina Silva (Rede), seguidos do atual presidente Michel Temer, com 0,4 por cento das intenções de voto.  

Brancos e nulos neste cenário estimulado somam 20,4 por cento, enquanto os indecisos chegam a 39,7 por cento.

Pesquisa passada, publicada em setembro, apontava Lula com 20,2 por cento dos votos nas respostas espontâneas, seguido por Bolsonaro, com 10,9.

Apesar da liderança na pesquisa, Lula poderá ser impedido de disputar a eleição de outubro. O ex-presidente teve uma condenação em primeira instância confirmada pela 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). A Lei da Ficha Limpa determina a inelegibilidade de condenados na Justiça por órgãos colegiados, caso da 8ª Turma do TRF-4.

Os advogados do ex-presidente, no entanto, ainda podem recorrer a tribunais superiores para garantir a candidatura.

A sondagem divulgada nesta terça-feira foi realizada entre 28 de fevereiro e 3 de março, em 137 municípios, com 2.002 entrevistados. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-06600/2018 e a margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

Veja abaixo todos os cenários pesquisados:

1º turno: Intenção de voto ESTIMULADA

CENÁRIO 1: Lula 33,4%, Jair Bolsonaro 16,8%, Marina Silva 7,8%,

Geraldo Alckmin 6,4%, Ciro Gomes 4,3%, Álvaro Dias 3,3%, Fernando Collor 1,2%, Michel Temer 0,9%, Manuela D´Ávila 0,7%, Rodrigo Maia 0,6%, Branco/Nulo 18,2%, Indecisos 6,4%.

CENÁRIO 2: Jair Bolsonaro 20,0%, Marina Silva 12,8%, Geraldo Alckmin 8,6%, Ciro Gomes 8,1%, Álvaro Dias 4,0%, Fernando Haddad 2,3%, Fernando Collor 2,1%, Manuela D´Ávila 1,3%,  Michel Temer 1,3%, Rodrigo Maia 0,8%, Branco/Nulo 28,2%, Indecisos 10,5%.

CENÁRIO 3: Jair Bolsonaro 20,2%, Marina Silva 13,4%, Geraldo Alckmin 8,7%, Ciro Gomes 8,1%, Álvaro Dias 4,1%, Fernando Haddad 2,4%, Fernando Collor 2,2%, Manuela D´Ávila 1,4%,  Rodrigo Maia 1,0%, Branco/Nulo 28,4%, Indecisos 10,1%.

CENÁRIO 4: Jair Bolsonaro 20,9%, Marina Silva 13,9%, Ciro Gomes 9,0%, Álvaro Dias 4,7%, Fernando Haddad 2,9%, Fernando Collor 2,1%, Manuela D´Ávila 1,7%, Rodrigo Maia 1,4%, Michel Temer 1,3%, Branco/Nulo 30,5%, Indecisos 11,6%.

2º turno: Intenção de voto ESTIMULADA 

CENÁRIO 1: Lula 44,5%, Geraldo Alckmin 22,5%, Branco/Nulo: 28,5%, Indecisos: 4,5%.

CENÁRIO 2: Lula 44,1%, Jair Bolsonaro 25,8%, Branco/Nulo: 26,0%, Indecisos: 4,1%.

CENÁRIO 3: Jair Bolsonaro 26,7%, Geraldo Alckmin 24,3%, Branco/Nulo: 41,6%, Indecisos: 7,4%.

CENÁRIO 4: Lula 43,8%, Marina Silva 20,3%, Branco/Nulo: 31,8%, Indecisos: 4,1%.

CENÁRIO 5: Marina Silva 26,3%, Geraldo Alckmin 24,6%, Branco/Nulo: 42,5%, Indecisos: 6,6%.

CENÁRIO 6: Jair Bolsonaro 27,7%, Marina Silva 26,6%, Branco/Nulo: 39,0%, Indecisos: 6,7%.

CENÁRIO 7: Geraldo Alckmin 36,6%, Michel Temer 3,8%, Branco/Nulo: 52,0%, Indecisos: 7,6%.

CENÁRIO 8: Jair Bolsonaro 36,0%, Michel Temer 5,7%, Branco/Nulo: 50,2%, Indecisos: 8,1%.

CENÁRIO 9: Lula 47,5%, Michel Temer 6,8%, Branco/Nulo: 40,7%, Indecisos: 5,0%.

CENÁRIO 10: Marina Silva 36,8%, Michel Temer 5,3%, Branco/Nulo: 51,1%, Indecisos: 6,8%.

CENÁRIO 11: Geraldo Alckmin 32,2%, Rodrigo Maia 6,5%, Branco/Nulo: 52,8%, Indecisos: 8,5%.

CENÁRIO 12: Jair Bolsonaro 32,2%, Rodrigo Maia 9,4%, Branco/Nulo: 49,6%, Indecisos: 8,8%.

CENÁRIO 13: Lula 46,7%, Rodrigo Maia 9,8%, Branco/Nulo: 38,4%, Indecisos: 5,1%.

CENÁRIO 14: Marina Silva 34,5%, Rodrigo Maia 7,3%, Branco/Nulo: 51,0%, Indecisos: 7,2%.

Dia da Mulher é Dia de Luta

O Dia Internacional da Mulher é dia de luta, de relembrar as conquistas sociais, políticas e econômicas das mulheres ao longo dos anos. Mulheres do mundo todo se mobilizam nesta data, e no Brasil não é diferente, pois, as brasileiras foram muito atingidas pelos retrocessos do atual governo. 

 

 A lei do teto dos gastos que congelou por 20 anos os gastos sociais e a reforma trabalhista atingem principalmente as mulheres, e com maior intensidade as mulheres do campo, negras, indígenas e moradoras das periferias. A retirada da Reforma da Previdência da pauta da Câmara é uma das poucas conquistas a ser comemorada, que é resultado de muita luta, principalmente das mulheres. 

 

A maioria dos alunos de universidades brasileiras é mulher, graças ao Fies, ao ProUni e a expansão do sistema público de educação durante os governos Lula e Dilma. O Bolsa Família mudou a realidade de milhares de mulheres que viviam em situação de miséria. Todas estas conquistas estão ameaçadas e é preciso intensificar a luta das mulheres.

 

Mulheres do país inteiro estão nas ruas para dizer que não aceitam perder o que conquistaram e lutando por um país mais igualitário e principalmente para acabar com a violência contra as mulheres. Noss mandato reafirma o compromisso com a luta feminina e acredita que só é possível construir uma sociedade justa e fraterna com as mulheres ocupando o poder. 

 

Nosso mandato popular reafirma compromisso com a luta feminina e acredita que só é possível construir uma sociedade justa e fraterna com as mulheres ocupando os mesmo espaços de poder.

 

Deputado federal Rubens Otoni (PT-GO)

Mandato do deputado Rubens Otoni apoia ato das mulheres da cidade e do campo na Assembleia Legislativa

Mulheres de vários movimentos sociais ocuparam a Assembleia Legislativa do Estado de Goiás. O ato com o tema "Mulheres contra o capital, em defesa da Democracia e da Soberania Nacional”, que visa celebrar de forma crítica o Dia da Mulher, discutir a violência contra o sexo feminino e protestar contra as reformas da Trabalhista e da Previdência, teve início na última quarta-feira, 7, e foi encerrado na quinta-feira, 8 de março, Dia Internacional da Mulher, com uma caminhada pelas ruas da cidade. 
 
Fizeram parte do protesto mulheres ligadas a várias entidades, como o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Movimento Camponês Popular (MCP), Central Única dos Trabalhadores (CUT) e Comitê Goiano de Direitos Humanos Dom Tomás Balduíno.
 
O Mandato Popular do deputado Rubens Otoni apoiou o ato por acreditar na luta pelos direitos das mulheres. “Lutar por uma sociedade justa fraterna e solidária, significa também lutar para garantir igualdade de direitos para as mulheres. Por isso, neste mês, em que se comemora e luta-se pelos direitos das mulheres por todo mundo, reafirmo nosso compromisso pela inclusão da mulher em todos os espaços do poder”, destaca o deputado Rubens Otoni. 
 
Para Beth Souza, coordenadora do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra em Goiás, a violência contra a mulher é um dos assuntos que serão debatidos e denunciados. "É preciso denunciar as mais diversas formas de violência contra a mulher e cobrar políticas públicas, Goiás é o segundo estado no ranking de feminicídio", completa.
 
Segundo Sandra Alves, coordenadora nacional do Movimento Camponês Popular (MCP), os movimentos sociais querem conversar com a liderança da Alego e com o governo do estado para que seja derrubado o veto do governo na lei que estabelece um valor mínimo orçamentário para o Fundo da Agricultura Familiar e Camponesa. "Lei bonita sem dinheiro não adianta nada", afirma.
 
Amélia Franz que é coordenadora nacional do MST destacou que esta atividade de hoje, mostra a unificação dos movimentos sociais, principalmente em apoio a candidatura de Lula. "É uma eleição que representa a luta de classes, impedir Lula de participar das eleições é só o primeiro ataque", afirma Amélia, que garante que o MST vai defender o direito de Lula ser candidato. 
 
A presidente estadual do PT Goiás, Kátia Maria dos Santos explicou que as atividades se encerram amanhã, com uma caminhada pelas ruas da cidade. "Marcharemos unidas, até que todas sejamos livres", defende.
 
Câmara dos Deputados 
 
Em homenagem ao Mês da Mulher, a Câmara aprovou nesta quarta-feira (7) seis projetos da bancada feminina. O primeiro deles, o projeto de lei (PL 5452/16), do Senado, tipifica o crime de divulgação de cenas de estupro e aumenta a pena para estupro coletivo. Devido às mudanças no texto original, a matéria retorna ao Senado.
 
O texto aprovado incluiu o crime de importunação sexual, proposta prevista em projetos sobre o tema. Entre eles, o PL 6722/16, de autoria da deputada Maria do Rosário (PT-RS) e do deputado Zé Carlos (PT-MA). O dispositivo permitirá punir com pena de detenção os casos de assédios ocorridos em ônibus e metrô. Atualmente, esse comportamento é classificado como contravenção penal, punido somente com multa.
 

 

Encontros regionais do PT fortalecem candidatura de Lula em Goiás

As Regiões de São Miguel do Araguaia, Porangatu e Uruaçu receberam, no último fim de semana, Encontros Regionais do PT. O objetivo das reuniões, organizadas pela direção estadual do partido, é fortalecer e preparar o PT para as eleições 2018 e lançar oficialmente na cidade a pré-candidatura de Lula à presidência da República. “Esse é um momento de reflexão e planejamento. Estamos unindo forças em todo estado de Goiás em prol da candidatura de Lula e fortalecimento do PT. Agora é a hora de virar o jogo e voltar o Brasil para os trilhos”, avaliou o deputado Rubens Otoni que faz questão de comparecer em todos os encontros. O deputado acredita que nos últimos anos o PT lutou e resistiu contra os desmontes das políticas públicas, que são essenciais para a maioria do povo. Mas, segundo ele, esse ano, além de resistir, “temos a oportunidade de dar a volta por cima elegendo Lula para garantir esses direitos”. Nos próximos dias 10 e 11 de março, o PT Goiás realiza encontros na Região Extremo Sudoeste, que engloba os municípios de Aparecida do Rio Doce, Aporé, Caçu, Cachoeira Alta, Itajá, Itarumã, Lagos Santa,Paranaiguara e São Simão, de Rio Verde, que aglutina as cidades de Acreúna, Castelândia, Gouverlândia, Maurilândia, Montividiu, Porteirão, Quirinópolis, Rio Verde, Santo Antônio da Barra, Santa Helena de Goiás e Turvelândia e por fim, de Jataí, quem é composta pelos municípios de Chapadão do Céu, Jataí, Mineiros, Perolândia, Portelândia, Santa Rita do Araguaia e Serranópolis.

Encontros regionais do PT fortalecem candidatura de Lula em Goiás

As Regiões de São Miguel do Araguaia, Porangatu e Uruaçu receberam, no último fim de semana, Encontros Regionais do PT. O objetivo das reuniões, organizadas pela direção estadual do partido, é fortalecer e preparar o PT para as eleições 2018 e lançar oficialmente na cidade a pré-candidatura de Lula à presidência da República. 
 
“Esse é um momento de reflexão e planejamento. Estamos unindo forças em todo estado de Goiás em prol da candidatura de Lula e fortalecimento do PT. Agora é a hora de virar o jogo e voltar o Brasil para os trilhos”, avaliou o deputado Rubens Otoni que faz questão de comparecer em todos os encontros. 
 
O deputado acredita que nos últimos anos o PT lutou e resistiu contra os desmontes das políticas públicas, que são essenciais para a maioria do povo. Mas, segundo ele, esse ano, além de resistir, “temos a oportunidade de dar a volta por cima elegendo Lula para garantir esses direitos”. 
 
Nos próximos dias 10 e 11 de março, o PT Goiás realiza encontros na Região Extremo Sudoeste, que engloba os municípios de Aparecida do Rio Doce, Aporé, Caçu, Cachoeira Alta, Itajá, Itarumã, Lagos Santa,Paranaiguara e São Simão, de Rio Verde, que aglutina as cidades de Acreúna, Castelândia, Gouverlândia, Maurilândia, Montividiu, Porteirão, Quirinópolis, Rio Verde, Santo Antônio da Barra, Santa Helena de Goiás e Turvelândia e por fim, de Jataí, quem é composta pelos municípios de Chapadão do Céu, Jataí, Mineiros, Perolândia, Portelândia, Santa Rita do Araguaia e Serranópolis.