Arquivo mensal julho 2016

Doadores receberam verba de cota parlamentar

Matéria publicada em Política, Jornal O Popular – 05/07/2016.

Otoni visitou Goianápolis, Bonfinópolis, Senador Canedo e Gameleira de Goiás

O Mandato Popular do Deputado Federal Rubens Otoni promoveu segunda-feira (04) a oitava edição da Caravana em Defesa da Democracia e Contra o Golpe, desta vez nas cidades de Goianápolis, Bonfinópolis, Senador Canedo e Gameleira de Goiás.

O objetivo foi mobilizar a sociedade e mostrar os efeitos do processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff. “Estamos visitando as cidades e sempre denunciando o que há por trás de toda a movimentação para impedir a presidenta Dilma de governar. Também mobilizamos nossa militância para a criação dos Comitês em Defesa da Democracia”, afirmou Otoni.

A Caravana em Defesa da Democracia e Contra o Golpe iniciou no município de Goiánapolis, aonde Rubens Otoni participou de uma reunião com lideranças da região. Logo depois, o deputado esteve em Bonfinópolis onde visitou a Associação Cultural “Cultura 36” e participou de uma conversa com lideranças políticas, culturais e com a juventude local.  

Já em Senador Canedo, Rubens Otoni visitou o campus do Instituto Federal de Goiás para conhecer a demanda de crescimento daquela unidade de ensino, na oportunidade ele também conheceu as obras de ampliação. Ainda em Senador Canedo, o parlamentar reuniu-se com os membros do Partido dos Trabalhadores para discutir sobre a atual conjuntura política e as eleições municipais.

A oitava Edição da Caravana em Defesa da Democracia e Contra o Golpe encerrou em Gameleira de Goiás com mais uma reunião com membros do PT.

Comunicação Deputado Federal Rubens Otoni 

 

 

Com medidas impopulares, Temer promete “degradação dos serviços públicos”

A promessa do presidente interino Michel Temer de que vai adotar medidas impopulares é um recado claro e fácil de entender. “É simples. Quando ele menciona ‘medidas impopulares’, está falando em medidas que afetam 95% da população mais pobre do Brasil, as pessoas que dependem dos serviços públicos, para beneficiar os grupos que têm mais em detrimento do povo”, diz Guilherme Mello, professor de economia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

“O que a gente chama de povo são as pessoas mais pobres, mais simples, que mais dependem da atuação do Estado, dos serviços públicos, da previdência pública etc. Quando um governante fala em medidas impopulares, está falando de deterioração e degradação dos serviços públicos, da escola pública, da universidade, da saúde pública, do apoio aos pequenos produtores rurais, que são o povo.”

Em evento que reuniu representantes do agronegócio em São Paulo hoje (4), Temer recebeu apoio dos empresários e declarou: "Esse apoio é fundamental porque, a partir de certo momento, começaremos com medidas, digamos assim, mais impopulares". Ele não entrou em detalhes, não esclareceu que medidas seriam essas e nem em que momento as adotaria.

Essa sinalização do presidente provisório não é isolada e vem se repetindo. Na semana passada, por exemplo, em outro encontro com empresários, desta vez do comércio, no Palácio do Planalto, ele prometeu que "pouco a pouco" vai "trazer o Brasil para realidade". “Achei que teríamos aqui 30 ou 40 pessoas e vejo que as lideranças empresariais conseguiram mobilizar todo o Brasil”, acrescentou.

Populismo

“É preciso qualificar o que é popular, o que é impopular, o que é populismo e o que não é. Até porque durante muito tempo a palavra ‘populismo’, até pela tradição da sociologia uspiana, ficou como um palavrão. O que agrada o povo são coisas negativas, loucuras, e o que não agrada são as que colocam o país nos trilhos. Criou-se essa imagem de que o que é popular é populista e o que é impopular é racional. Isso é de uma falsidade absoluta”, diz Mello.

A promessa de medidas “impopulares” e o fato de ela ter sido dirigida a empresários do agronegócio é significativa, avalia o professor da Unicamp. “Os empresários do agronegócio, claro, precisam muito menos do Estado do que os pequenos produtores rurais, que necessitam de seguro, de apoio técnico e de financiamento. Como medidas impopulares são aquelas contra a população, ele está falando em cortar, por exemplo, financiamento ao pequeno produtor, cortar verba da saúde pública, da previdência pública”, diz Mello.

Para ele, o pequeno produtor rural que tinha previdência rural pode vir a perder o benefício ou sofrer com sua redução. “A justificativa é de que isso é racional. Não é racional, nessa ótica, taxar as grandes fortunas. Taxar os bilionários é uma medida popular e por isso é considerada ensandecida, porque os mais ricos ‘são o motor da sociedade brasileira’. O que não é ensandecido é tirar a saúde, a previdência, a educação, isso é razoável, racional, para o bem do país, segundo a opinião dessa entidade chamada mercado”, ironiza.

Guilherme lembra que Temer já adotou medidas “impopulares” não para retirar direitos, mas para angariar apoios. Há um mês, em consonância com o presidente, a Câmara aprovou um pacote de reajuste para o Executivo, o Judiciário, o Legislativo e o Ministério Público que terá impacto de ao menos R$ 58 bilhões até 2019, segundo estimativas.

Comunicação Deputado Federal Rubens Otoni 

Solange entrega 446 moradias

Matéria publicada em cidades, Diário do Norte – 04 a 10/07/2016.

Prefeitura também fez entrega de uma UPA

Matéria publicada em Cidades, Diário do Norte – 04 a 10/07/2016.

Eronildo inaugura três novas unidades de saúde à comunidade

Matéria publicada em Cidades, Diário do Norte – 04 a 10/07/2016.

Benefícios para atender Carmo do R. Verde

Matéria publicada em Cidades, Diário do Norte – 04 a 10/07/2016.

Projetos de combate à corrupção priorizados por Dilma estão na pauta da Câmara

A pauta de votações da Câmara dessa semana prevê a apreciação de cinco projetos de combate à corrupção que começaram a tramitar em regime de urgência a pedido da presidenta eleita Dilma Rousseff, antes de ser afastada do cargo em função do processo de impeachment. Os projetos trancam a pauta desde o dia 28 último e, por isso, precisam ser apreciados antes das demais proposições. 

Um deles, o projeto de lei PL 5.586/ 2005 tipifica o crime de enriquecimento ilícito quando o funcionário público possuir bens ou valores incompatíveis com sua renda, ou quando deles faça uso de tal modo que permita atribuir-lhe a propriedade. 

Outro projeto, o PL 2.902/ 2011 , também eleito como prioridade pela presidenta eleita Dilma Rousseff, estabelece normas para medida cautelar de indisponibilidade de bens, direitos e valores de proveniência ilícita e procedimentos de destruição de drogas, destinação e perdimento de bens apreendidos. 

Previsto para ir a voto, o PL 5.196/ 2013 dispõe sobre medidas corretivas de proteção do consumidor em caso de infração às normas de defesa do consumidor. 

Consta ainda da pauta da Câmara o projeto de lei PL 855/ 2015 que estabelece sanções a atividades ilícitas relacionadas à prestação de contas de partido político e de campanha eleitoral.

Por fim, também como medida de combate à corrupção priorizada pela presidenta eleita Dilma Rousseff pode ir a voto o projeto de lei PL 5.276/ 2016 que dispõe sobre o tratamento de dados pessoais para a garantia do livre desenvolvimento da personalidade e da dignidade da pessoa natural. 

 

Comunicação Deputado Federal Rubens Otoni 

 

Prefeitura inaugura maior complexo esportivo de Anápolis

Matéria divulgada em Notícias, www.anapolis.go.gov.br – 01/07/2016.

Ceres inaugura a primeira escola em uma unidade prisional em Goiás

O Deputado Federal Rubens Otoni prestigiou na quinta-feira,  a solenidade de inauguração da primeira escola construída no interior de uma unidade prisional no estado de Goiás, localizado no município de Ceres. A obra é fruto de uma parceria da Prefeitura Municipal com a Unidade Prisional de Ceres, financiada pelo Governo Federal através Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), e custou pouco mais de R$ 243 mil.

A Escola Municipal Professor Joaquim Vieira do Vale foi construída em uma área de 207m². Na obra foi empregada mão de obra dos reeducandos que cumprem pena na Unidade Prisional de Ceres, por meio do projeto Reeducar, que possibilita aos internos, aprenderem a trabalhar com alvenaria, carpintaria, pintura e outras técnicas, aprendendo uma profissão para exercerem quando deixarem a unidade penitenciária.

De acordo com a prefeita do PT, Inês Brito o início das atividades na nova unidade educacional está previsto para o mês de agosto.

Homenagem 

O nome da escola Joaquim Vieira do Vale, é uma homenagem a este pioneiro de Ceres que nasceu em Corumbaíba, Goiás e se mudou para a região do Vale do São Patrício em 1949. Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Anápolis, professor de carreira da Secretaria de Estado da Educação, no Colégio Estadual João XXIII, no Colégio Imaculada Conceição e na Faculdade de Filosofia do Vale do São Patrício, hoje Uni-EVANGÉLICA. Aposentou em 2002, foi Secretário Municipal de Administração da Prefeitura de Ceres entre 2001 e 2004. Casado por 31 anos com Aparecida Elisabeth Gonçalves do Vale, o qual tiveram três filhos: Luciano, Bruno e Ulisses do Vale. Faleceu no dia 23 de novembro de 2009.

 

Comunicação Deputado Federal Rubens Otoni